Mitos sobre PROCTOLOGISTA - R@ Psicologia

Existe um ditado que diz que a saúde vem em primeiro lugar, porém consultar-se com um médico pode trazer alguns medos que fazem com que alguns mitos sejam criados. Não seria diferente com um profissional que cuida do seu sistema digestório, dessa forma, além dos medos e mitos sobre o proctologista existem muitos tabus relacionados ao seu trabalho.

O que faz um proctologista?

Um médico proctologista é o especialista responsável pelo tratamento e diagnóstico das doenças e infecções ocorrentes no sistema digestório (cólons, reto e ânus). As doenças mais comuns que são tratadas por esse especialista são as hemorroidas, constipação (prisão de ventre), síndrome do intestino irritado, fissuras anais, pólipos, tumores, doença de Crohn e patologias dos orifícios.

Quando consultar um proctologista?

É necessário consultar esse profissional toda vez que exista algum problema que envolva o sistema digestório. Ele irá solicitar exames para que seja feita uma avaliação do seu problema e receitará medicamentos adequados para o tratamento no seu caso específico.

Verdades e mitos sobre proctologista

Nessa profissão existem muitos pacientes cuja pouca informação que têm são baseados em mitos e chegam nas consultas esperando os piores procedimentos. Os mais comuns mitos sobre proctologista são:

-Ao contrário do que muita gente pensa o proctologista atende homens e mulheres;

-Os exames são em sua grande maioria indolores e quando não são causam no máximo um desconforto que pode ser facilmente tolerado;

-Fazer muita força para evacuar e não comer fibras ou ingerir pouca água podem aumentar as chances de desenvolver hemorroidas;

-Pimentas e comidas apimentadas não causam hemorroidas, isso é um mito, porém pode ser um alimento irritante para os tecidos de quem já apresenta o problema;

-Hemorroidas não causam câncer, essas são duas doenças muito diferentes;

-Sentar em lugares quentes também não causa hemorroidas;

-Sexo anal pode causar fissuras e pequenos traumas;

-Mulheres grávidas tem mais propensão a desenvolverem hemorroidas devido a pressão exercida na região pélvica e o aumento de peso;

-Laxantes não causam hemorroidas ou outros quaisquer tipos de traumas anais;

-A alimentação influencia no aparecimento das fissuras do ânus;

-A Fissura não cicatriza sozinha, é necessário procurar um médico

-É possível prevenir o problema de fissuras e hemorroidas;

-Não existem apenas a cirurgia como meio de tratamento para as fissuras;

– Os exames no consultório são muito rápidos;

-A consulta não demora e é suficiente pra prevenir doenças ou detectá-las cedo.

Como atua esse profissional?

Além dos habituais exames clínicos o médico realiza o toque retal que é muito conhecido por detectar o câncer de próstata. O proctologista atua tanto por meio de tratamentos com remédios como com intervenções cirúrgicas quando necessário.

Portanto, vale muito a pena se consultar com um proctologista e cuidar de sua saúde. Não é vergonha ir a esse especialista e sim sinal de que você se importa com o funcionamento efetivo de seu corpo. São poucos minutos que valem ouro para que dúvidas possam ser esclarecidas que podem ser fundamentais para que seja antecipado o diagnóstico de alguma doença.

Especialista esclarece cinco mitos e verdades sobre o Câncer de Próstata

Com visibilidade maior a cada ano, campanha de Novembro Azul tem levado homens a se consultar, fazer os exames preventivos e evitar riscos de desenvolver a doença. Falta de informação ainda é a maior barreira

Outubro Rosa e Novembro Azul têm sido campanhas cada vez mais presentes nos últimos anos. A importância é nobre e se justifica, já que o objetivo é o combate ao Câncer de Mama e ao Câncer de Próstata. O INCA (Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva) estima que 68,8 mil casos foram desenvolvidos em 2014, sendo que, no ano anterior, 13,7 mil homens morreram devido à doença.

Por ter menos tempo, e pela dificuldade natural dos homens em ir ao médico, o Novembro Azul carrega uma dificuldade maior de conscientização. Felizmente, esse cenário tem melhorado, graças também à contribuição das mulheres, que muitas vezes são quem marcam as consultas para os homens de suas famílias.

Para esclarecer as dúvidas que surgem, o professor titular de Urologia da PUC-PR e presidente eleito da SBU (Sociedade Brasileira de Urologia) Fernando Meyer explica cinco mitos e verdades sobre o câncer de próstata.

2º tipo de câncer mais comum no Brasil

No Brasil, o Câncer de Próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. “Em valores absolutos, é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens, representando cerca de 10% do total de cânceres. Sua taxa de incidência é cerca de seis vezes maior nos países desenvolvidos em comparação aos países em desenvolvimento”, destaca Meyer, que é médico cooperado da Unimed Curitiba.

Exame de próstata

O “temido” exame de próstata é, talvez, a maior dificuldade dos homens em procurar uma consulta urológica. “Atualmente, o exame para afastar ou confirmar o Câncer de Próstata, deve ser feito em todos os homens com mais de 50 anos de idade, ou naqueles com fatores de risco (história familiar e raça negra) a partir dos 45 anos de idade”, detalha o urologista.

Os exames consistem em Toque Retal em que o urologista avalia o tamanho e consistência da próstata e o exame de sangue PSA (Antígeno Prostático Específico). “É importante ressaltar que o exame do toque retal é rápido (dura cerca de 10 segundos), e de extrema importância para o diagnóstico da doença. Aos poucos, os homens têm deixando de lado os tabus e feito o exame, com mais frequência do que antes. A falta de informação e o preconceito são as maiores barreiras”, enfatiza Meyer.

Fator genético

O fator genético é extremamente importante quanto o assunto é Câncer de Próstata. “Pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos pode aumentar o risco de se ter a doença de três a dez vezes, se comparado à população em geral, podendo refletir tanto fatores genéticos (hereditários) quanto hábitos alimentares ou estilo de vida de risco de algumas famílias”, afirma o urologista.

Hábitos saudáveis

“Já está comprovado que uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco de câncer, como também de outras doenças crônicas não-transmissíveis”, recomenda Meyer.

Nesse sentido, outros hábitos saudáveis como fazer 30 minutos diários de atividade física, pelo menos, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar também são indicados.

Cura na fase inicial

Quando o Câncer de Próstata é diagnosticado numa fase inicial, as chances de cura passam de 90%, por isso a importância de fazer os exames periodicamente. “Para doença localizada, a cirurgia, radioterapia e até mesmo observação vigilante (em alguma,s situações especiais) podem ser oferecidos. Para doença localmente avançada, radioterapia ou cirurgia em combinação com tratamento hormonal têm sido utilizados. Já para a doença metastática (quando o tumor original já se espalhou para outras partes do corpo), o tratamento de eleição é a terapia hormonal”, lista o médico.

Fernando Meyer enfatiza ainda que a escolha do tratamento mais adequado deve ser individualizada e definida após discutir os riscos e benefícios do tratamento com o seu médico.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *